comerciante

Pronto para a mesa. Um mercador florentino ricos da era Medici, podia pagar, geralmente, alimentos muito caros

Se tivéssemos a oportunidade de sermos convidados para almoçar por um Burguês florentino dos anos 1500, a classe social típica, all'epoca, de comerciantes, certamente seríamos confrontados com um cardápio rico e articulado, mais do que o proposto por um florentino menos rico poderia ser (https://www.pilloledistoria.it/10105/storia-moderna/tavola-un-fiorentino-del-rinascimento).

John Lucas Dubreton, em seu famoso livro A vida diária em Florença na época do Medici, nos ilumina neste sentido, trazendo de volta os pratos mais usados ​​na situação que acabamos de descrever.

A refeição geralmente começa com melão, seguido pelo Berlingozzo, um bolo preparado com farinha, açúcar e ovos, após o qual os cursos mais substanciais foram iniciados, ou capões fervidos, linguiça com vitela, ensopado, frangos assados, ou bolo, pombas e faisões, ou mesmo, trote.

Uma fonte de alimentação, como pode ser visto, tudo menos leve e dietético, principalmente baseado em carne e caça, alimentos caros, que nem todos podiam pagar.

E já que a garganta e o espírito tinham que andar de mãos dadas, para tornar o ambiente mais alegre e amigável, tudo foi acompanhado de bom música, em particular o de castanholas e de Scacciapensieri, dois instrumentos então muito populares (foto da: digitando-clic.blogspot.it).