Facas de mesa renascentistas

Faca de mesa de bronze renascentista

mesmo o facas de mesa eles passaram por mudanças substanciais desde a Idade Média até a Renascença, em linha com as mudanças gerais que ocorreram de uma época para outra.

Sabemos que não é só a gastronomia entendida como cozinhar e uma forma de comer., mas também a hábitos na mesa, eles experimentaram uma mudança global no período da Renascença (veja também https://www.pilloledistoria.it/12401/storia-moderna/lo-zucchero-cucina-rinascimentale).

Facas de mesa em particular, eles se tornaram mais refinados na forma: as linhas ficaram mais refinadas, doce e afilado.

Esta foi uma consequência direta, também, maior atenção ao rótulo.

Facas de diversos tipos e para uso diversificado chegaram às mesas renascentistas: havia aquele para peixe, aquele para carne, da sobremesa e assim por diante, para mim punta, em comparação com o passado, tornou-se mais arredondado para todos os modelos.

Nem é preciso dizer que o diferença de classe importou muito: apenas nos banquetes dos ricos era possível encontrar verdadeiras pequenas obras-primas.

Os nobres de fato, eles ostentavam facas finamente trabalhadas, incrustado e esculpido, muitas vezes em materiais preciosos como ouro, prata e marfim.

Normalmente, seu uso era limitado e não havia um para cada lanchonete, mas apenas alguém para passar um para o outro, se necessário.

finalmente, em comparação com a Idade Média, as facas da mesa também mudaram função, que passou a ser exclusivamente o de rasgar a louça.

No passado em vez, bem como cortá-lo, a faca também era usada para levar comida à boca (Foto da: catawiki.it).